Regimes de acumulação e épocas literárias
×
Regimes de acumulação e épocas literárias
Regimes de acumulação e épocas literárias
De: R$ 25,00
Por: R$ 20,00
4× de R$ 5,38
vezesparcelatotal
sem jurosR$ 20,00R$ 20,00
R$ 10,45R$ 20,90
R$ 7,07R$ 21,21
R$ 5,38R$ 21,52
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

vezesparcelatotal
sem jurosR$ 20,00R$ 20,00
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

(indisponível)
Avise-me quando chegar:
Título: Regimes de acumulação e épocas literárias.
Autor: Nildo Viana.
Editora: Edições Enfrentamento.
Edição: 01.
Ano: 2020.
Páginas: 70.
ISBN: 978-65-00-04828-5

SINOPSE:

A obra “Regimes de Acumulação e Épocas Literárias” aborda a história da literatura, mais especificamente o que ficou conhecido como “períodos literários”, a partir do desenvolvimento histórico do capitalismo. As épocas literárias não emergem aleatoriamente, pois elas estão intimamente ligadas ao processo histórico e social. O autor mostra que a história do capitalismo é marcada por sucessivos regimes de acumulação e como estes promovem paradigmas hegemônicos que geram uma convergência cultural com as épocas literárias e cânones literários hegemônicos. Para concretizar esse processo analítico, o autor aponta para a contribuição do marxismo e da sociologia da literatura a partir de uma análise crítica das contribuições de Lucien Goldmann e Georg Lukács e, após isto, desenvolve os conceitos de regimes de acumulação, épocas literárias e cânones literários hegemônicos, bem como conceitos correlatos. Desta forma, o autor analisa a sucessão de regimes de acumulação e evolução das épocas literárias, apontando a relação dos principais cânones literários e o paradigma hegemônico em cada um dos regimes de acumulação. Nesse contexto, o autor desenvolve uma discussão sobre diversas manifestações literárias, tais como o naturalismo, o romantismo, o realismo, entre outras.